21 de março de 2017

A primeira edição do “Projeto CARONA!” contou com a participação de três artistas e foi um verdadeiro sucesso!

Rachel Falcão

Conheça quem são esses artistas e quais foram os trabalhos que eles desenvolveram na primeira residência artística em movimento do Brasil:

Rachel Falcão

Rachel Falcão

Artista plástica, artista-pesquisadora e artista-educadora, Rachel é graduada em Artes Plásticas e em Desenho Arquitetônico, fez Especialização em Artes, Cultura Visual e Comunicação pela UFJF e Mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável pela Escola de Arquitetura da UFMG, com a pesquisa “Interações e Intervenções: a participação do artista contemporâneo em processos de reconfiguração sociais e espaciais”. Atualmente é professora e coordenadora do Núcleo de Arte da Fundação de Arte de Ouro Preto (FAOP) e trabalha sobretudo com desenho, objeto e práticas artísticas colaborativas e comunitárias. Esteve com a caravana de Pirapora, em Minas, até Piranhas, em Alagoas. O trabalho desenvolvido pela artista na Residência se chamou “Banca de Retratos – Porque se os olhos refletem a alma das pessoas, as pessoas refletem a alma do lugar.” A artista convidou as pessoas a serem retratadas em desenhos a pastel oleoso sobre papel.

Ronie Ryba

Ronie Ryba

Ronie é artista plástico, filósofo e contador de histórias. É escultor que se inspira no figurativo, transfigurando o humanismo que norteia seu trabalho. Percorreu o trecho de Pirapora, em Minas Gerais até Baixio na Bahia. A performance que o artista desenvolveu consistia em ouvir e recolher histórias e lendas dos lugares por onde o FIOTIM passou, para depois interpretá-las de forma surpreendente e encantadora.

Eduardo Faria

Eduardo Faria

O multi-artista Dú, como é conhecido, é graduado em Artes Visuais pela Universidade Estadual de Londrina e vive e trabalha em Ouro Preto, Minas Gerais. Acompanhou toda a Caravana, de São Roque de Minas até Baixio, na Bahia. Desenvolveu performances e trabalhou o desenho, com o qual buscou a desconstrução do olhar simbólico, tendo como inspiração os espaços e as pessoas das cidades por onde o FIOTIM passou.